terça-feira, 21 de junho de 2011

"Nada acontece por acaso"


Mais um de meus textos espero que gostem, comentem e desculpem por alguns erros de português que por ventura venha a encotrar.


                                                       "Nada acontece por acaso"


Liur Matheus

Erá uma noite muito linda, o céu não possuia nem uma nuvem e a a lua iluminava as ruas, estava magnifica, Marinna estava deitada sobre o colo de seu marido que lhe fazia, carinho, cafuneis e a dava em alguns instantes beijos românticos, mais a umas duas quadras da casa da Marinna, uma garota de seus 6 aninhos perambulava nas ruas atrás de alguma comida e ou algo para a esquentar, essa garotinha era órfão seus pais tinha morrido em um acidente horrível, sua casa tinha sido incendiada, por um milagre divino a garotinha não tinha morrido, pois toda sua sorte foi que ela dormia sempre dentro do armário, por ela ter medo de dormir sozinha na cama. Todos se surpreenderam principalmente os bombeiros quando viram o armário do quarto da garotinha em total bom estado e com a menina dormindo sem nenhum arranhão, mais desde esse trágico acidente, por não ter familia, nem um parente vivo e seus pais morto, a pequena Vivian passou a morar na rua, muitas vezes quase sendo morta ou até mesmo sendo por pouco não ter sido estuprada. Vivian anda pelas ruas procurando pelas lixeiras algo que servisse, quando ela ficou encantada por uma casa, era imensa lembrava muito a casa de seus pais, eram uma casa que aparentava ser muito acolhedora. A pequena Vivian estava tão encantada pela casa que não viu um carro em alta velocidade vindo em sua direção. Dentro do carro haviam 2 casais quase todos embriagados, apenas uma moça que não gostava de beber que não tinha se embriagado. A cada instante a moça pedia para seu namorado diminuir e passar a direção para ela.

Fernando ande mais mais de vagar, por favor! Deixa de besteira, Mônica não tem ninguém na rua uma hora dessa! Me passe a direção Fernando, você esta embriagado não era para esta dirigindo! Deixa de me encher Mônica, eu não estou bêbado.

Mônica continuava muito preocupada, ela olhava para seu namorado todo o caminho, quando virou -se para observar a rua, ela viu uma sombra preta, mais não deu tempo se virar para seu namorado e mandar diminuir. Eles tinha acabado de atropelar a pequena Vivian, fazendo um barulho imenso quando a menina foi arremessada para trás, acordando toda vizinhança. Marinna se assustou com aquele barulho mesmo a frente de sua casa, e saiu correndo junto de seu marido para saber o que tinha acontecido. O carro do namorado de Mônica depois de bater em algo que eles não sabiam o que eram pensavam que era um gato, tinha batido no poste. Todos os 4 foram saindo do carro, o namorado de Mônica e o outro casal por não aguentarem o álcool no organismo se sentaram do outro lado da rua, Mônica estavai indo em direção aos que tinha originalizado toda a confursão chegando ao local ela começou a chora em desespero, uma menininha de 6 anos estava estirada no chão totalmente machucada e com seus osso quase todos quebrados, Mônica entrou em desespero e não parava de chorar, quando Marinna abriu a porta viu aquela moça chorado e gritando por socorro e quando  virou-se  viu o corpinho da garotinha, mandou urgente seu marido ligar para a Ambulância, 10 minutos depois a pequena Vivian estava sendo levada ao hospital e Monica e Marinna resolveram ir juntas, Mônica então pediu para Marinna que deixasse seu namorado e seus amigos tomarem um banho e dormirem um pouco, Marinna pede ao seu marido para cuidar deles e vai junto da Mônica para o hospital.Durante o caminho Marinna pergunta a Mônica o que tinha acontecido.

Mônica o que aconteceu ? Marinna não vou mentir para você, a senhora está sendo muito legal comigo. Senhora não Monica, não sou tão velha assim.

A duas riram junto do paramédico, mais quando olham para a garotinha não conseguiram mais rir, então Mônica continua.

Bom estávamos em uma festa, meu namorado o Fernando junto do outro casal, Monique e Marcos começaram a beber muito eu pedi para o Nando não beber tanto porque ele que ia dirigido ou ele me desse a chave, sendo que ele não me escutou e sendo encorajado pelos amigos deles foi dirigindo, eu sempre pedindo para ir devagar e ele não me escutou, quando me virei para a pista eu vi um vulto negro, mais não deu tempo eu avisar ao Nando  para o carro e acabamos batendo na garotinha, eu pensava que eram um gato nunca imaginei que poderia ser uma criança.

A duas começam a chorar, o paramédico então perguntou.

Nenhuma de vocês é parente dessa garotinha ? Não.

Respondeu as duas na mesma hora.

Chegando ao hospital a garotinha passou por cirurgia, o namorado da Mônica é presso por está dirigindo embriagado e por tentativa de homicidio culposo. Depois de 3 dias do acidente a garotinha recobra a consciência, ela observa aquele quarto branco, e olha uma mulher linda ao seu lado, perdida em seus pensamentos a garotinha imagina que está no ceu e que tinha morrido. Então com um ar tão inocente a criança pergunta.

Estou no céu ? Não. Você está viva, no hospital
Respondeu Marinna. Olhando para a mulher que respondeu e a outra do seu lado a pequena Vivian se perguntava, Como não estou no céu ? Se tem duas anjas lindas do meu lado. Mônica então pergunta.
Por que você acha que está no céu? Ah, por esse lugar tão branco e por esta ao meu lado duas anjas tão lindas.

Marinna e Mônica se olham, e com seus olharem falaam uma para outra. “Que menina tão especial, ela que é um anjinho”. Então a pequena Vivian desconcentra as duas.
Eu queria está no céu, por que poderia ver minha mãe e meu pai mais uma vez.

As duas se emocionarão quando a menina fala isso, ai Marinna pergunta.

Como é seu nome, minha anjinha ? Vivian
.
Responde a pequena Vivian com um sorriso no rosto, Marinna então responde.
Meu nome é Marinna e o dela é Monica Hum. Muito prazer Mamães.

Responde Vivian chorando. Mônica então pergunta.

Por que Mamães ? Ah, por que vocês estão cuidado de mim, pra mim vocês são minhas mamães.

As duas começaram a chorar, Marinna pergunta.

Vivian você tem familiares vivos ? Não meus pais eram os únicos familiares que eu tinha. Vivian o que você fazia naquele lugar sozinha ? Eu estava admirando aquela linda casa, depois escutei uma pancada e senti uma dor muito grande e não me lembro de mais nada. Qual casa ? A casa branca, com uma varanda imensa.

Marinna olha para a Mônica e as duas com trocas de olhares, voltam a atenção para a menininha.
Vivian, aquela casa é a minha. Responde Marinna.

É por isso ela é tão linda, só poderia ser de um anjo mesmo. Responde Vivian. Marinna quase chorando então pergunta.

Vivian você queria morar naquela casa ? Claro que sim. Você moraria lá, comigo e meu marido ? Se o seu marido for um anjo também.
Mônica e Marinna começa a rir junta. Monica então pergunta.

Você que ter 2 Mães ? Eu tenho 3, minha mãe que está no céu, e vocês duas.

Depois de recuperada, a pequena Vivian vai morar com Marinna e o seu marido, depois de 2 meses do pedido de adoção, Vivian passa a ser oficialmente filha do casal, tendo como madrinha Mônica, que passou a ir quase todo dia para ver a Vivian. Se passaram anos hoje a pequena Vivian, tem seus 30 anos, casada, formada mais nunca esquece das palavras de suas 2 mães, Marinna e Mônica “Deus sempre escreve por linhas tortas, quando você acha que tudo dá errado ele te mostra o caminho certo, Deus nunca faz nada acontecer por acaso”, o acidente da Vivian foi uma prova, que algumas desgraças podem ser benéficas.

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More